Inquérito que apura se Bolsonaro interferiu na PF é prorrogado

 Decisão é do ministro Alexandre de Moraes e foi publicada nesta sexta-feira, 7

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, prorrogou o inquérito que investiga possíveis interferências do presidente Jair Bolsonaro na Polícia Federal por mais 90 dias. A decisão foi publicada nesta sexta-feira, 7.
 Foto: Evaristo SA | AFP

"Considerando a necessidade de prosseguimento das investigações e a existência de diligências em andamento, nos termos previstos no art. 10 do Código de Processo Penal, prorrogo por mais 90 (noventa) dias, a partir do encerramento do prazo final anterior (27 de janeiro de 2022), o presente inquérito", escreveu o ministro no documento.

As investigações iniciaram a partir de declarações do ex-ministro da Justiça e Segurança Pública durante saída do governo Bolsonaro em abril de 2020. Segundo Moro, Bolsonaro queria um aliado no cargo, além de exigir acesso a relatórios sigilosos da corporação.

Em novembro de 2021, Bolsonaro prestou depoimento sobre o caso de forma presencial. O presidente confirmou que pediu ao ex-ministro a substituição do então diretor-geral da Polícia Federal, Maurício Valeixo por falta de comunicação dele com a presidência.

Após a conclusão do inquérito, a Polícia Federal encaminhará um relatório à Procuradoria Geral da República, que decidirá se apresenta denúncia contra o presidente ou arquiva o caso.

0 Comentários