UFC 208 retorna a Nova York com disputa de cinturão


UFCAnderson Silva enfrenta Derek Brunson na co-luta principal do UFC 208 (Foto: Evelyn Rodrigues)

UFC – O Ultimate Fighting Championship retorna a Nova York com mais um card valorizado e a presença de brasileiros. Depois da estreia no Madison Square Garden, em novembro de 2016, o octógono chega agora pela primeira vez ao tradicional bairro do Brooklyn. A Barclays Arena será a ‘casa’ do UFC 208, a partir das 22h (de Brasília), com disputa de cinturão entre mulheres, abrindo a nova divisão de peso da organização, e a volta daquele que é considerado o ‘melhor de todos’ na história do MMA: Anderson Silva. O site Superesportes terá cobertura de todos os combates em tempo real.

 Aos 41 anos, o Spider resiste ao tempo e ainda é capaz de atrair grande público por onde se apresenta. E será assim no UFC 208. Mesmo com a disputa de cinturão inaugural do peso pena, entre Holly Holm – ex-campeã dos galos – e Germaine de Randamie, as protagonistas do evento, a principal atração é Anderson Silva. Ele encara Derek Brunson, nos médios, no segundo duelo mais importante da noite.

Entretanto, a fase do ícone brasileiro do octógono é bem diferente daquela que o transformou no maior nome da organização. O ex-dono do cinturão, recordista em número de defesas de título na franquia (10), não vence desde outubro de 2012, quando nocauteou Stephan Bonnar no Rio de Janeiro. Desde então, o jejum dura cinco combates: derrotas para Chris Weidman (2), Michael Bisping e Daniel Cormier, além de um No Contest (sem resultado) diante de Nick Diaz.

O período sem triunfos não preocupa o veterano astro, que terá pela frente um oponente mais jovem e que, mesmo com revés na última exibição, é considerado perigoso. “Já conquistei tudo, agora eu só quero me divertir e fazer o que eu amo. Não tenho pressão nenhuma, já passei por todas as fases desse esporte. Já perdi, já ganhei, me lesionei. Agora é fazer o que eu amo, com minha verdade”, declara o Spider, que fez questão de abraçar o oponente e mostrou respeito antes do combate. “Esse desafio me atraiu. Ele é oito anos mais novo, vem de derrota, mas vinha de vitórias antes. É o desafio”, acrescentou.

A fase não é das melhores, mas Anderson Silva “caiu de pé” em sua última atuação. Ele assumiu a vaga de Jon Jones na semana do UFC 200 e perdeu para Daniel Cormier, campeão do peso-meio-pesado, na decisão dos jurados, travando três rounds contra um adversário de ponta, na divisão de cima e vindo de uma preparação completa.

Oponente de Spider, Derek Brunson havia enfileirado cinco rivais – até perder para Robert Whittaker, ao buscar displicentemente o nocaute. A felicidade por enfrentar uma lenda do esporte é notória no rosto do americano, que prima pelo porte físico e pelo poderio de nocaute.


Like it? Share with your friends!

0
1 share

Facebook Comments