Após vazar vídeo íntimo de sua filha, pai perde a cabeça e executa traficante

São Luís – Alguns vídeos circulam em diversos grupos do WhatsApp no Maranhão e expõem o momento em que um “suposto” traficante é executado por policiais. Segundo a descrição da mensagem o jovem de 20 anos, envolvido em diversos crimes em São Luís, teria divulgado na internet um vídeo íntimo da sua namorada de apenas 18 anos, que é filha de um policial ligado a um determinado grupo de extermínio da capital.

vídeo intimo

O grupo denominado “G6” é uma organização criminosa formada por ex-policiais que atuam na região sul da capital maranhense . Durante a execução do suposto criminoso os atiradores fazem menção a facção ao qual o pai da jovem é suspeito de integrar.

O rapaz que aparece no vídeo foi identificando como o presidiário Kleber Vieira Gama, de 22 anos, foragido da justiça por tráfico de drogas, estupro e roubo majorado.

No inicio do ano, a Polícia Civil do Maranhão realizou diversas buscas pelo foragido para cumprir o mandado de prisão expedido no dia 12 de janeiro. Entretanto o corpo do detento teria sido encontrado em uma viela da cidade de Imperatriz com diversos tiros e sem as tatuagens no corpo. De acordo com investigadores da Delegacia de Homicídios a suspeita é que a motivação do assassinato tenha sido por conta do vazamento do vídeo. Mas ainda é cedo para apontar a autoria do crime tendo em vista que a vítima possuía diversos desafetos.

A Polícia Civil do Maranhão procurava Kleber desde o último dia 12, quando mandados de prisão foram expedidos pela justiça. No entanto, as autoridades não estavam tendo sucesso até o momento em que encontraram o corpo em uma vala na cidade de Imperatriz. O cadáver do traficante estava sem as tatuagens. Tudo aponta que a motivação do crime foi o vídeo íntimo. No entanto, os policiais da região ainda afirmam ser cedo para confirmar com toda certeza que o pai da garota é o responsável pela execução.

Mesmo com o vídeo em mãos e o conhecimento de que o pai é o responsável, o caso ainda é tratado com muita cautela. O motivo para isso é porque Kleber contava com vários desafetos no mundo do crime. Por conta disso, as autoridades querem ter certeza absoluta na ação que tomarão a seguir.