Rio Branco tem 74 casos confirmados de leptospirose em 2019, aponta Saúde

A capital acreana, Rio Branco, registrou 74 casos de leptospirose em 2019, segundo dados do Departamento de Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa). Os dados são referentes aos meses de janeiro a novembro.

O número representa uma média de 6,7 casos por mês, desde janeiro. De acordo com os dados, a capital não registrou nenhum óbito causado pela doença.

O levantamento revela ainda uma queda de 24,5% nos casos de leptospirose em comparação ao ano passado, quando foram confirmados 98 casos e um óbito. Durante todo o ano de 2018 foram 100 casos confirmados da doença.

A diretora do departamento, Socorro Martins, afirma que no período chuvoso acaba tendo ainda mais incidência da doença. Ela orienta sobre os cuidados que a população deve ter para evitar a contaminação.

“A gente pede que a população adote algumas medidas, como evitar o contato com água e lama de enchente ou enxurradas, impedir que as crianças nadem ou brinquem nessas águas. No caso de não ter como evitar, que usem equipamentos de segurança como botas, luvas e sacos plásticos para não ter o contato com essa água. Além disso, se a casa teve contato, é preciso usar água sanitária para desinfectar”, explica.

Outra medida importante, segundo Socorro, é guardar os alimentos de forma adequada e ter atenção na destinação do lixo.

“Vale lembrar que os sintomas da doença são bem parecidos com o da dengue e chikungunya, que são febre, dor de cabeça, dor no corpo e, principalmente, na panturrilha. Então, assim que sentir um desses sintomas, que procure o médico”, conclui.

Como se pega a leptospirose
Em situações de enchentes e inundações, a urina dos ratos, presente em esgotos e bueiros, mistura-se à enxurrada e à lama das enchentes. Qualquer pessoa que tiver contato com a água ou lama contaminadas poderá se infectar. A Leptospira penetra no corpo pela pele, principalmente se houver algum ferimento ou arranhão.

Sintomas da doença
Os sintomas mais frequentes são parecidos com os de outras doenças, como a gripe. Os principais são: febre, dor de cabeça, dores pelo corpo, principalmente nas panturrilhas (batata-da-perna), podendo também ocorrer icterícia (coloração amarelada da pele e das mucosas).

Tempo para a doença aparecer
Os primeiros sintomas podem aparecer de um a 30 dias depois do contato com a enchente. Na maior parte dos casos, aparece 7 a 14 dias após o contato.

Tratamento da leptospirose
O tratamento é baseado no uso de antibióticos, hidratação e suporte clínico, orientado sempre por um médico, de acordo com os sintomas apresentados. Os casos leves podem ser tratados em ambulatório, mas os casos graves precisam ser internados.

Como evitar a doença
Evite o contato com água ou lama de enchentes e impeça que crianças nadem ou brinquem em ambientes que possam estar contaminados pela urina dos ratos. Pessoas que trabalham na limpeza de lamas, entulhos e desentupimento de esgoto devem usar botas e luvas de borracha (se isto for possível, usar sacos plásticos duplos amarrados nas mãos e nos pés).

Recomendado para você

Author: Redação BR Acontece

Criador de conteúdo, amante da internet, TV, plataformas blogger e WordPress. Vivo conectado em um mundo chamado notícias online, sempre atualizando o site BR Acontece.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *