Lésbicas brasileiras conheça algumas famosas

Celebridades

De um tempo para cá, número de homossexuais do sexo feminino na aumentou exponencialmente; antiga e nova geração se misturam

Lésbicas brasileiras – Se há algum tempo assumir-se homossexual podia isolar um ator e impedí-lo de fechar contratos comerciais, nos dias atuais isso já não é um problema. Em 2019, por exemplo, inúmeros artistas saíram do armário – alguns recentemente.

Marina Lima

A cantora Marina Lima foi uma das primeiras artistas brasileiras a assumir sua orientação sexual, em 1983. Em 2000, declarou à revista Marie Claire que foi casada duas vezes, ambas com mulheres.

A cantora Marina Lima, de 64 anos agora com novo amor, usou suas redes sociais nesta sexta-feira (07), para homenagear sua namorada, a advogada Lídice Xavier, que completa 40 anos de vida hoje. Na publicação em seu perfil no Instagram, Marina escolheu uma foto em que aparece ao lado da amada com cara de apaixonada.

Lésbicas brasileiras – Nanda Costa

Todavia, Vitória Strada não está sozinha no time de lésbicas  da Globo e celebridades do mundo da fama, inúmeras atrizes da emissora também integram a comunidade do arco-íris. Pensando nisso, o BR Acontece elaborou uma lista para mostrar quem são essas celebridades.

Divulgação Globo / Reprodução Instagram
Nanda Costa

Lésbicas brasileiras – Bruna Linzmeyer

Atualmente vivendo Érica em “Amor de Mãe”, Nanda Costa assumiu estar namorando Lan Lanh em junho de 2018. A parceira da atriz ficou conhecida por ter um relacionamento com Cássia Eller.

Lésbicas brasileiras – Letícia Lima

Assumidamente bissexual desde o segundo semestre de 2017, a atriz já interpretou mocinhas e mulheres poderosas nas telas da emissora mais famosa do Brasil. Em 2019 ela fez um discurso sobre diverdade na Parada LGBTQ+ de São Paulo e foi aplaudida por uma multidão.

Christian Gaul/Revista Trip /Letícia Lima para Trip

Camila Pitanga

Recentemente, Camila Pitanga foi tirada do armário após colunistas e especulações apontarem que ela estaria em um relacionamento homoafetivo. Após algum tempo de repercussão, a artista confirmou o affair com Beatriz Coelho.

Divulgação/Instagram/@caiapitanga
Camila Pitanga

Lésbicas brasileiras – Karol Lannes

Conhecida por interpretar Agatha, filha de Carminha em “Avenida Brasil”, a atriz-mirim da Globo cresceu e descobriu-se homossexual. Apesar da alta repercussão, ela alegou que em casa a informação foi recebida com tranquilidade e naturalidade. Além das citadas, outras atrizes já se assumiram lésbicas, como Alessandra Maestrini, Maria Maya, Thalita Carauta, Maria Zilda, Claudia Jimenez, Giovana Grigio, Débora Nascimento, Carol Duarte e entre outras.

Lésbicas brasileiras

Thammy Miranda

Thammy Miranda, que já foi dançarina da mãe, Gretchen, e posou nua para revistas masculinas, assumiu em 2006 que gostava mesmo era de mulheres. A mãe da moça chegou a negar, mas ela confirmou o namoro com uma garota. “Somos criados aprendendo que o certo é menino com menina. É difícil mudar isso”, disse. Atualmente ela namora com a modelo Andressa Ferreira.

Maria Gadú

Em entrevista à revista Rolling Stone, em 2010, Maria Gadú revelou ter se relacionado pela primeira vez com uma garota aos 15 anos. Porém, ressaltou o fato de não precisar afirmar sua sexualidade para ninguém. “Ninguém chega em casa falando para a mãe que é hétero. Então por que tem que chegar e dizer: ‘mãe, sou gay?’”, declarou. Ela é casada desde 2013 com Lua Leça.

Adriana Calcanhoto

A cantora Adriana Calcanhoto, de 49 anos, mantinha um relacionamento de 26 anos com a cineasta Suzana de Moraes, de  74 anos,  filha do poeta Vinicius de Moraes. O relacionamento foi interrompido em janeiro do ano passado, após a morte de Suzana, que sofria de um câncer no endométrio. “Fui a mulher mais feliz do mundo nestes 26 anos em que estive com ela. Uma grande mulher, inteligente, engraçada, culta, amiga dos amigos, que teve uma vida extraordinária, e que viveu cada segundo como nunca mais. Morreu de mãos dadas comigo. Foi-se o amor da minha vida”, disse a cantora na época.

Claudia Jimenez

Claudia Jimenez viveu por dez anos com a personal trainer Stella Torreão. Em julho de 2012, a atriz foi submetida a uma cirurgia cardíaca e, embora não sendo mais um casal, Stella esteve ao lado da ex-companheira o tempo todo. “A Stella foi o maior amor que eu vivi. Ela é meu anjo da guarda. É muito bom ter encontrado alguém fiel, cúmplice e que tenha ficado para sempre”, declarou.

Daniela Mercury

Já em 2013, Daniela Mercury assumiu de vez a relação com a jornalista baiana Malu Verçosa. A revelação foi feita pela própria artista em sua página no Instagram. Na ocasião, a cantora publicou uma imagem onde aparecia em momentos de puro romance com a amada, com direito a aliança na mão esquerda e tudo. “Malu agora é minha esposa, minha família,minha inspiração pra cantar”, escreveu. As duas se casaram em outubro do mesmo ano, em cerimônia íntima.

Maria Zilda Bethlem

Maria Zilda Bethlem se casou com a namorada, a arquiteta e cenógrafa Ana Kalil, em 2013. Elas já moravam juntas desde meados de 2008 e sempre mantiveram a discrição da relação. Raramente são raramente fotografadas juntas.

Lili Maestrini e Larissa França

As jogadoras de vôlei de praia Lili Maestrini e Larissa França assumiram seu relacionamento em 2013. As duas trocaram alianças vestidas de noivas. Larissa chegou a fazer um tratamento de fertilização para engravidar, mas a gravidez não foi adiante.

Monique Evans

Monique Evans assumiu seu relacionamento com a DJ cacá Wernek em fevereiro de 2015, durante o Carnaval do Rio de Janeiro. A loira utiliza frequentemente seu perfil no Instagram para se declarar à morena. “Minha namorada, minha mulher, meu amor!!”, disse em uma imagem.

Alessandra Maestrini

Alessandra Maestrini assumiu sua bissexualidade em agosto de 2014. Em entrevista à revista ‘Caras’, a atriz e cantora, resolveu falar sobre sua orientação sexual. “As pessoas costumam assumir o seu amor e não a sua sexualidade. Não as julgo. Mas eu aqui estou me assumindo, não porque esteja apaixonada e nem mesmo porque esteja procurando um amor para o momento. Não é o caso, definitivamente. Estou me assumindo porque estou exausta. Pra mim já deu. Sabe?  E sei que esta minha decisão e gesto podem e vão influenciar muitas pessoas, da vida pública como eu e, principalmente, na sua vida privada, a abrir suas asinhas e alçarem voos mais leves.Ai! Que alívio!”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *