Desastre nuclear em Fukushima: Japão confirma primeira morte de trabalhador por radiação

Japão

O Japão anunciou pela primeira vez que um trabalhador da usina nuclear de Fukushima morreu após sofrer exposição à radiação.

O homem, que estava em seus 50 anos, morreu de câncer de pulmão que foi diagnosticado em 2016.

O governo do Japão havia previamente concordado que a radiação causou doenças em quatro trabalhadores, mas esta é a primeira morte reconhecida.

O reator de Fukushima sofreu colapsos após um terremoto de magnitude 9,0 e um tsunami em março de 2011.

Sistemas de resfriamento foram destruídos na fábrica na costa nordeste do Japão e material radioativo vazou.

O funcionário que morreu trabalhava em usinas atômicas desde 1980 e estava encarregado de medir a radiação na usina de Fukushima no 1 logo após seu colapso.

Ele trabalhou lá pelo menos duas vezes depois que foi danificado, e usou uma máscara facial e um traje de proteção, segundo o Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar do Japão.

Depois de ouvir as opiniões de um painel de radiologistas e outros especialistas, o ministério determinou que a família do homem deveria receber uma compensação.

O colapso de Fukushima foi o pior acidente nuclear do mundo desde Chernobyl em 1986. Cerca de 18.500 pessoas morreram ou desapareceram no terremoto e no tsunami, e mais de 160.000 foram forçadas a deixar suas casas.