Caso Daniel Corrêa Ministério Público apresenta denúncia criminal pela morte do jogador


O Ministério Público do Paraná comunicou a formalização da denúncia criminal sobre à morte do jogador de futebol Daniel Corrêa Freitas, ocorrida há exatos um mês. A denúncia será feira pela meio da 1ª Promotoria de Justiça de São José dos Pinhais, Região Metropolitana de Curitiba. O promotor de Justiça João Milton Salles e o responsável pelo caso.

Caso Daniel Corrêa

Polícia divulga laudo final sobre a morte do jogador Daniel Corrêa

O laudo final sobre a morte do jogador Daniel Corrêa foi divulgado na tarde desta quinta-feira pela Polícia civil do Paraná. Os exames indicam que a residência e o veículo da família Brittes, onde a vítima foi espancada e em seguida transportada até um matagal em São José dos Pinhais passaram por uma limpeza, o que dificultou o trabalho de coleta de fluídos biológicos. O delegado do caso, Amadeu Trevisan, afirmou ainda que Edison Brittes, que confessou ter matado a vítima, é “um sádico” e “sem remorso”.

Segundo os peritos do Instituto de Criminalística da Polícia Civil, o exame das marcas no corpo do jogador indicam também que o transporte do corpo entre o veículo e o local onde foi encontrado, próximo a uma estrada em São José dos Pinhais (PR), possivelmente foi feito por mais de uma pessoa.

O empresário Edison Brittes, que confessou ter matado o jogador Daniel Corrêa, ex-atleta do São Paulo, está detido no Centro de Triagem I, em Piraquara, na região metropolitana de Curitiba. A mulher dele, Cristiana, e a filha, Allana, foram encaminhadas para a Penitenciária Feminina, no mesmo complexo prisional. Eles cumprem prisão temporária pela morte do atleta no dia 27 de outubro e estavam detidos na Delegacia de São José dos Pinhais.

Solto

A Justiça revogou a prisão de Eduardo Purkote Chiuratto, um dos sete suspeitos de envolvimento no caso da morte do jogador Daniel Freitas, e ele deixou a prisão na tarde desta segunda- (26) em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba. Ele estava preso desde o dia 15 e foi indiciado por lesão corporal grave.

Os outros seis suspeitos, entre eles o assassino confesso Edison Brittes, a mulher dele, Cristiana, e a filha, Alana, continuam presos. De acordo com informações do inquérito policia, Purkote é suspeito de ter quebrado o celular do jogador, arrombado a porta do quarto de Cristiana e de agredir o jogador.

Daniel foi encontrado morto, com o órgão sexual decepado, no dia 27 de outubro, perto de uma estrada rural na Colônia Mergulhão, em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba. O crime aconteceu depois da festa de aniversário de Allana Brittes, filha de Cristiana e Edison Brittes.


Like it? Share with your friends!

COMENTÁRIOS DO FACEBOOK