Neo Química Arena tem divida milionária relativas às obras do estádio

 Informe do Arena Fundo FII, gestor do estádio de Itaquera, protocolado na CVM pela controladora BRL Trust, expôs números mais realistas – antes ocultados – sobre as dívidas da casa alvinegra.

Até 31 de janeiro de 2022, o total do passivo era de R$ 602.617.931,76.

Destes, R$ 601,6 milhões são devidos pela construção da Arena; quase R$ 1 milhão (R$ 936,1 mil) provém de calotes à taxa de administração.

O Corinthians (único pagador de despesas do Fundo) possui pendências relativas às obras do estádio com a Odebrecht e a CAIXA.

Não se sabe, porque inexiste informação clara no documento, se o passivo engloba as duas empresas ou apenas uma delas, nem, neste caso, qual delas seria.

Por óbvio, não estão inseridos juros e já descontados os quase R$ 600 milhões abatidos pelos CIDs, perfazendo um total de custo da obra, sem as correções de parcelamentos futuros, de aproximado R$ 1,2 bilhão.

O Informe desmente discursos do ex-presidente Andres Sanches e do atual, Duílio ‘do Bingo’ Monteiro Alves, de que a dívida já estaria quitada, aguardando apenas a homologação.

Não há, novamente, menção alguma ao pagamento de qualquer parcela dos ‘naming-rights’, que o clube diz ter vendido – em setembro de 2020 – por R$ 15 milhões anuais, em 20 parcelas, totalizando R$ 300 milhões.

O Fundo cobra R$ 648,5 milhões do Corinthians.

R$ 602,6 milhões das pendências da Arena e pouco mais de R$ 48 milhões de calotes nos repasses obrigatórios sobre arrecadações do estádio.

Fonte: Blog do Paulinho

Alex Santos

Criador do site BR Acontece atualizado nos principais assuntos em política, economia, tecnologia e variedades.

Postagem Anterior Próxima Postagem