Gilmar Mendes manda Senado destruir provas da CPI da Pandemia

Ministro disse que com o fim da comissão e a apresentação do relatório final à PGR, informações da quebra de sigilo de empresa precisam ser inutilizadas.

Apesar da ordem, os dados não serão perdidos. Segundo o ministro, com o envio do relatório final da comissão à PGR, o Senado não pode ficar com uma cópia dos dados sigilosos. Em decisão da sexta-feira passada, ele determinou que a Presidência da casa fosse oficiada para proceder a destruição do material.

A CPI aprovou no ano passado um pedido do relator, Renan Calheiros, para quebrar os sigilos telemático e telefônico da empresa, que recorreu ao Supremo e obteve uma liminar suspendendo a decisão dos senadores, em setembro do ano passado.

“Este mandado de segurança tem por objeto o exame de legalidade de ato da CPI da Pandemia que implicou o afastamento dos sigilos telefônico e telemático da impetrante (…) Por conseguinte, oficie-se à Presidência do Senado Federal para que proceda à imediata destruição dos documentos, dados e informações da impetrante, obtidas por força da aprovação do requerimento 1328/2021 pela Comissão Parlamentar de Inquérito do Senado Federal concernente ao enfrentamento da pandemia da Covid-19 no Brasil (CPI da Pandemia), com fundamento no art. 9º da Lei nº 9.296/1996”, disse o ministro.

Alex Santos

Criador do site BR Acontece atualizado nos principais assuntos em política, economia, tecnologia e variedades.

Postagem Anterior Próxima Postagem