O que é a Web3 e por que todo mundo na Internet está falando sobre ela?

 O Web3 será basicamente uma versão mais recente da Internet que usamos hoje, no entanto, não será até alguns anos quando os usuários médios da Internet irão experimentá-lo.

Com o mundo caminhando para uma nova década, os avanços tecnológicos testemunharam um boom e, com isso, melhoramos nossa experiência com a internet. Foi no final da década de 1980 quando o conceito de internet começou e avançou quatro décadas, estamos em uma nova era discutindo uma nova versão da internet, a Web3. Com o conceito sendo um pouco complexo, aqui está uma ideia do que ele realmente é. Isso polarizou o mercado tecnológico e fez com que magnatas da tecnologia como Elon Musk e Jack Dorsey se voltassem contra ele. 

A ideia por trás do Web3

Como mencionado acima, o Web3 será basicamente uma versão mais recente da Internet que usamos hoje. No entanto, não será daqui a alguns anos que os usuários comuns da Internet como você e eu começaremos a experimentá-lo. O termo Web3 foi cunhado pela primeira vez em 2014 por Gavin Wood, o co-fundador da tecnologia de blockchain Ethereum e marca um novo começo da era da Internet. Foi em 1989 quando Tim Berners-Lee introduziu a World Wide Web (WWW), a primeira fase da Internet, que você pode chamar de Web1 para acompanhar os desenvolvimentos. O conceito de Internet de Berners-Lee era bastante simples, como você pode imaginar, sem muitas complicações de usabilidade e escopo. 

Web 2 e o futuro

Dez anos depois - a partir de 1999 - começou a segunda fase (Web2) da internet, quando os sites ficaram mais interativos com os usuários, a arena ficou mais vasta, e acabou sendo o que usamos até hoje. Embora pudéssemos ter concordado com a Web2 por um pouco mais de tempo, uma facção de inovadores agora está planejando mudar o conceito existente, tornando a internet mais 'descentralizada'.

Diversas plataformas como Google e Facebook possuem uma espécie de monopólio de mercado, o que lhes dá todo o poder, mesmo que os usuários estejam expostos a todo tipo de vulnerabilidades no mundo virtual. A Web3 tentará levar esses gigantes da tecnologia à falência de seu poder ilimitado, fazendo com que os usuários controlem seus dados e suas atividades online.

Como o Web3 será diferente? 

Já que estamos falando de descentralização, tudo que está na internet vai rodar com a tecnologia blockchain e o poder vai passar para as pessoas. Se você está familiarizado com criptomoedas, deve estar ciente de que elas funcionam com a tecnologia blockchain, o que significa que não há regulador ou intermediário entre dois pontos de transações. Da mesma forma, quando você navegar na Internet da era Web3, não haverá reguladores para armazenar seus dados, para vazá-los posteriormente, e você não terá mais autorização ou negação de acesso a uma determinada página ou serviço, uma vez que você também teria ser uma espécie de 'dono', graças à descentralização. Em termos simples, a propriedade dos dados mudará das grandes corporações para os usuários. No entanto, esse conceito parece bom demais para ser verdade, e nem todo especialista em tecnologia concorda com ele. 

Recentemente, Elon Musk twitou que não acha que o Web3 é real e que "parece mais um jargão de marketing do que realidade". Além disso, o ex-CEO do Twitter Jack Dorsey também zombou da ideia e tweetou que é tudo uma farsa, já que a Web3 não será propriedade de pessoas, mas de capitalistas de risco e que é "em última análise uma entidade centralizada sob um novo rótulo". 

0 Comentários