TATUAGENS DE FILTROS DOS SONHOS SIGNIFICADO – (dreamcatcher) - BR Acontece

TATUAGENS DE FILTROS DOS SONHOS SIGNIFICADO – (dreamcatcher)

BR Acontece
Criador do site BR Acontece, amante da internet, tv, plataformas blogger e WordPress. Vivo conectado em um mundo chamado notícias online, sempre atualizando o site BR.

As tatuagens de apanhador de sonhos, também conhecidas como filtro dos sonhos, estão em alta atualmente. Além de lindas, têm um significado muito interessante. Sabemos que o adorno tem a função de filtrar boas vibrações, mas o que muita gente não sabe é que na verdade o “dreamcatcher”, representado por uma teia de aranha, é base para várias lendas antigas de várias etnias indígenas da América do Norte.

15176e70f99dd0c27c1c5121a106a904

Existem várias versões que apontam para a origem dos apanhadores de sonhos. Em sua maioria, fazem referência a sua origem ter ocorrido entre tribos americanas. No entanto não se sabe exatamente em qual, pois esta se perdeu no tempo pelas tradições orais. Mas podemos afirmar que foi nessa região que este tipo de mandala, que hoje serve como adereço de moda e decoração, além da proteção, tornou-se muito importante.
A história do apanhador de sonhos pode ter começado na tribo indígena “Ojibwe”, ou “Chippewa”, outrora situada na região dos grandes lagos da América do Norte, e hoje se espalha por outras regiões do Novo México. Para este povo, conseguir decifrar mensagens e revelar sonhos tinha uma grande importância durante a passagem pela terra, e por isso a teia dos sonhos era essencial.

Acreditava-se que no cair da noite o ar se carregava de energias – sonhos e pesadelos, ambos trazendo mensagens –, e a ferramenta mística feita artesanalmente com objetos da natureza filtrava o ar, deixando que os sonhos bons pudessem passar e prendendo as ruins na “teia”.

Segundo outra velha lenda, em um tempo em que havia apenas escuridão no mundo, um velho xamã “Sioux”, que vivia no sudoeste norte-americano buscava pela visão no topo de uma montanha, se comunicou com o espírito mágico “Iktohmi”, que possuía a forma de uma aranha. Durante o diálogo, a aranha pegou um cipó e teceu uma teia com cabelo de cavalo e oferendas. Enquanto isso, o espírito falava do nascimento à morte e as forças que atuam sobre a humanidade, sendo boas e ruins, e que a força atuaria sobre sua vida conforme seus desejos e anseios interiores.

 

Deixe um comentário