Suspeito nega esquartejamento e admite ter espalhado partes do corpo. - BR Acontece

Suspeito nega esquartejamento e admite ter espalhado partes do corpo.

BR ACONTECE
Amante da internet, tv, plataformas blogger e WordPress. Vivo conectado em um mundo chamado notícias online, sempre atualizando o site BR. Email:
A polícia prendeu nesta sexta-feira, 4, João Eduardo Gerônimo, de 29 anos, suspeito de participar do crime de esquartejamento de um homem encontrado no bairro de Higienópolis, em São Paulo. Gerônimo foi detido e encaminhado ao 5º Distrito Policial (DP), na Aclimação. O acusado, que é morador de rua e usuário de crack, negou ter matado e esquartejado a vítima, mas confessou ter distribuído as partes do corpo na região de Higienópolis em troca de R$ 30. Gerônimo disse ter recebido o carrinho de feira e as sacolas de um homem em um veículo de cor prata.
Segundo a polícia, Gerônimo distribuiu apenas uma parte das sacolas e por isso é investigada a participação de mais pessoas no crime. O suspeito teria dito ainda que não sabia do que se tratava o conteúdo das sacolas. Gerônimo foi detido pela Polícia Militar por volta das 11h desta sexta-feira, 4, na região da Bela Vista, por comportamento suspeito.
Na delegecia, um investigador identificou semelhanças entre Gerônimo e o homem do retrato falado divulgado pela Polícia nesta quinta-feira, 3. Ao ser interrogado, o morador de rua inicialmente negou participação no crime. Em seguida, confessou participação apenas na distribuição das sacolas.
A polícia havia divulgado nesta quinta-feira, 3, o retrato falado do homem que aparece empurrando um carrinho em imagens de uma câmera de segurança da Guarda Civil Municipal na Rua Sabará, em Higienópolis. No local, foram encontrados dois pedaços de perna e dois pedaços de braços de um homem esquartejado no domingo, 23. A imagem foi feita com base em câmeras de segurança.
Cabeça. A cabeça do homem esquartejado foi encontrada dentro de um saco de lixo preto na Praça da Sé, região movimentada do centro de São Paulo, na quinta-feira passada, 27. O saco foi achado por um transeunte, que suspeitou do formato redondo do conteúdo e notificou guardas civis metropolitanos que estavam no local.
Familiares de um homem desaparecido desconfiam que a cabeça encontrada na Praça da Sé, na quinta-feira passada, 27, seja de seu parente. De acordo com o delegado do Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP), Itagiba Franco, a família viu um retrato gráfico e imagens de algumas partes da cabeça, como o bigode, por exemplo. Amostras de DNA dos parentes foram colhidas pela polícia para que sejam confrontadas com a da cabeça.

Deixe um comentário