Presa do interior de Umuarama PR tira fotos de dentro de cela e publica no Facebook - BR Acontece

Presa do interior de Umuarama PR tira fotos de dentro de cela e publica no Facebook

BR ACONTECE
Amante da internet, tv, plataformas blogger e WordPress. Vivo conectado em um mundo chamado notícias online, sempre atualizando o site BR. Email:
Uma presa da Delegacia de Umuarama, na região noroeste do Paraná, postou várias fotos no Facebook de dentro da cela com um celular. A mulher, presa desde agosto de 2013 por tráfico de drogas, publicou várias fotos em que aparece sozinha e junto com as colegas de cela durante todo o mês de dezembro. A Polícia Civil descobriu a página após denúncia anônima e o celular foi apreendido na tarde de terça-feira (14).
Em dezembro, a presa publicou 26 fotos. Em todas elas, os amigos comentaram ou curtiram a publicação. Em uma das postagens, feita no mural da página pessoal no dia 10 de janeiro, a detenta postou que estava em um relacionamento sério. Já em um comentário, no dia 12, ela afirmou que estava presa.
O inspetor da carceragem em Umuarama, Nelson Augusto Gonçalves Barbosa, afirma que o celular não havia sido encontrado porque os agentes carcerários têm priorizado vistorias na parte estrutural da carceragem. “Rotineiramente fazemos o ‘bate grade’ estrutural e, duas vezes por mês, verificamos nas celas se há a presença de drogas ou armas”, explica o inspetor. Segundo ele, a preocupação com a estrutura é para evitar possíveis fugas.
Ainda conforme o inspetor, nas últimas vistorias, os agentes carcerários não encontraram nenhum celular na cela das presas. “Nós não sabemos ainda como o aparelho chegou até ela. Talvez, o celular foi entregue por uma visita que, possivelmente, introduziu o aparelho nas partes íntimas”, afirma.
O caso será investigado pela Polícia Civil. Barbosa diz que a presa ficará sem receber visitas durante dois meses como punição. A cadeia da delegacia foi construída para abrigar 64 presos, mas, atualmente, está com aproximadamente 210.
O G1 entrou em contato com a Secretaria Estadual da Justiça, Cidadania e Direitos Humanos (Seju) pedindo um posicionamento sobre o caso. Porém, a assessoria de comunicação da pasta informou que o chefe da carceragem responderia os questionamentos. Já o responsável indicou que a reportagem entrasse em contato com inspetor da carceragem.
Fonte G1

Deixe um comentário