Entenda a paralisia do sono – quando você está deitado e não consegue se mover, saiba porque? - BR Acontece

Entenda a paralisia do sono – quando você está deitado e não consegue se mover, saiba porque?

BR ACONTECE
Amante da internet, tv, plataformas blogger e WordPress. Vivo conectado em um mundo chamado notícias online, sempre atualizando o site BR. Email:

Você já passou pela situação de estar dormindo, mas em estado de lucidez, e tenta se mover mas não consegue? E quanto mais você se esforça para se mexer, menos consegue e mais paralisado fica?

Eu já tive diversas vezes esta experiência, e não é nada agradável. E até poucos dias atrás não imaginava que outras pessoas também passam por isso de vez em quando. Mas felizmente (?) isso é um fenômeno relativamente comum e acontece com muita gente. Trata-se da paralisia do sono ou catalepsia projetiva.

Acontece, obviamente, durante o sono, como forma de evitar que o corpo se mova durante os sonhos. É um fenômeno natural que ocorre todas as noites, embora seja raramente notado pela própria pessoa enquanto se dorme. Momentos antes da mente despertar, a paralisia cessa. Por isso, raramente se tem consciência da sua existência. Se, porventura, a mente despertar antes do mecanismo de paralisação ser desativado, ocorre a consciência da paralisia do sono.
Esta consciência pode ser muito perturbadora, pois o indivíduo dá por si mesmo completamente paralisado, incapaz de mover os membros, tendo uma sensação de agonia e de impotência muito fortes. A mente ainda está atravessando um período de transição entre o estado de sono e o estado de vigilia (ou vice-versa) e nessa altura podem surgir alucinações hipnagógicas: presença de uma pessoa, ouvir vozes ou sons, sensação de flutuação ou de sair do próprio corpo, imagens de pessoas, visualização de objetos, sensação de ver ao seu redor mesmo tendo os olhos fechados etc.
Tanto as alucinações como a própria paralisia são inofensivas, existindo quem aproveite esta fase para induzir sonhos lúcidos ou alucinações agradáveis, e acontecem ocasionalmente, como resultado de uma má alimentação, maus hábitos de sono, estresse etc. Por vezes, podem indicar a existência de um outro problema maior, como, por exemplo, a narcolepsia.
Ao fim de algum tempo (que pode variar de alguns segundos até cerca de três minutos), a paralisia cessa e o corpo readquire capacidade de se mover novamente. Um dos conselhos mais usuais é ficar parado, respirando lentamente e esperar que passe. Enquanto se concentra na respiração, a mente divaga e quando menos espera o corpo deixa de estar paralisado. Pode-se tentar mover um dedo e lentamente mover o resto da mão, do braço, até que todo o corpo se mova. Outra técnica popular é piscar várias vezes, ou fechar os olhos fazendo um pouco de força. De qualquer dos modos, o corpo acabará por “desativar” a paralisia.
Estima-se que até 60% da população mundial já tenha passado por essa experiência pelo menos uma vez na vida. Em algumas culturas, isso significava pré-disposição ao xamanismo e contato com o mundo dos espíritos.


Possíveis causas
A paralisia do sono acontece durante o período de sono REM, o que previne assim movimentos corporais. Muito pouco se sabe sobre a fisiologia da paralisia do sono. Entretanto, já foi sugerido que ela pode estar relacionada à inibição pós-sináptica de neurônios motores na ponte do tronco cerebral. Particularmente, níveis baixos de melatonina podem interromper a despolarização em atividade nos nervos, a qual previne o estímulo dos músculos. Essa melatonina está ligada ao consumo excessivo de bananas em um certo horário do dia, entre 14h e 20h ou pelo menos 5 horas antes de dormir ou 3 horas depois de acordar.
Vários estudos concluíram que a maioria das pessoas experimentará a paralisia do sono pelo menos uma ou duas vezes em suas vidas.
Muitas pessoas que frequentemente passam pela paralisia do sono também sofrem de narcolepsia. Alguns estudos sugerem que existem vários fatores que aumentam a probabilidade da ocorrência de paralisia do sono e de alucinação. Eles incluem:
– indução consciente da paralisia (que também é uma técnica comum para entrar em um estado de sonho lúcido ou projeção da consciência);
– agenda de sono irregular (cochilos e/ou privação do sono);
– stress elevado;
– mudanças súbitas no ambiente ou na vida de alguém;
– um sonho lúcido que imediatamente precede o episódio;
– sono induzido através de medicamentos como anti-histaminas e
– nível elevado de cansaço

O fenômeno visto em outras culturas
Na cultura Hmong, paralisia do sono descreve uma experiência chamada “dab tsog” ou “demônio apertador” da frase composta “dab” (demônio) e “tsog” (apertar, esmagar). Frequentemente, a vítima afirma enxergar uma figura pequena, não maior que uma criança, sentando em sua cabeça ou peito.
Na cultura vietnamita, a paralisia do sono é conhecida como “ma de”, que significa “segurado por um fantasma”. Muitas pessoas nesta cultura acreditam que fantasmas entram no corpo das pessoas causando a paralisia.
Na China, paralisia do sono é conhecida como “鬼压身” (pinyin: guǐ yā shēn) ou “鬼压床” (pinyin: guǐ yā chuáng), o que pode ser traduzido literalmente como “corpo pressionado por um fantasma” ou “cama pressionada por um fantasma”.
Na cultura japonesa, a paralisia do sono é conhecida como kanashibari (金縛り), que significa literalmente “atado ao metal”
Na cultura popular húngara a paralisia do sono é chamada “lidércnyomás” (“lidérc pressionante”) e pode ser atribuída a um número de entidades sobrenaturais como “lidérc” (aparições), “boszorkány” (bruxas), “tündér” (fadas) ou “ördögszerető”.
Na cultura brasileira, a paralisia do sono pode ter originado a lenda da Pisadeira, segundo a qual, durante o sono, uma mulher lendária pisa sobre o peito da pessoa que está dormindo, enquanto esta vê tudo e não pode fazer nada.

Deixe um comentário