Desligamento de tv com tubo começa no ano que vem; equipamentos do tipo dependem de um conversor para sintonizar o sinal digital - BR Acontece

Desligamento de tv com tubo começa no ano que vem; equipamentos do tipo dependem de um conversor para sintonizar o sinal digital

BR Acontece
Criador do site BR Acontece, amante da internet, tv, plataformas blogger e WordPress. Vivo conectado em um mundo chamado notícias online, sempre atualizando o site BR.

A três anos do TV-LG-CINEMASTER-CONVENCIONAL-TUBO-OTIMA-20140215041739fim do sinal analógico de televisão aberta no País, previsto para 2018, mais da metade das famílias possuem aparelhos de tubo, segundo a primeira pesquisa sobre o assunto feita pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgada nesta quarta-feira (29). O percentual, de 54,5%, chega a 67,6% no Nordeste.

Diferentemente dos aparelhos de tubo, que precisam de um conversor, as TVs de tela fina quase sempre vêm prontas, de fábrica, para sintonizar o sinal digital da TV aberta, que começa a substituir o analógico no País a partir de 2016 (hoje ele é transmitido junto com o analógico), mas que já está em testes desde abril deste ano. Esses aparelhos mais novos, entretanto, estão presentes em 45,5% dos lares que possuem televisão no País.

Quem usa aparelho de tubo e tem TV por assinatura ou antena parabólica não está ameaçado pelo corte de sinal analógico, lembra Jully Nascimento Ponte, pesquisadora do IBGE. Mas, mesmo descontados esses, restam cerca de 16 milhões de lares, ou cerca de 25% do total de TVs no País.

Moradora de São José do Rio Preto, cidade no interior paulista onde o sinal analógico será desligado 2017, Laís Machado não pensa ainda em trocar seu aparelho de tubo de 29 polegadas por uma de tela fina.

“Eu tenho essa TV já há alguns anos e ela está com a imagem ótima, funciona muito bem. Ainda não senti a necessidade de comprar uma de tela fina, mesmo porque gosto muito de assistir filmes e faço isso pelo notebook, que fica até mais prático”, conta.

Aos 21 anos, Natália Barbosa, funcionária do setor financeiro de uma agência-escola, depende do aparelho comprado pela avó há cerca de 15 anos para assistir à televisão. Filmes, só no notebook.

“A TV ficava na sala até que a minha mãe comprou outra maior (…) e essa foi para o meu quarto. E, quando vim morar sozinha, eu continuei com ela, pois não tinha grana para comprar uma moderninha. Ela desliga sozinha às vezes, mas é maravilhosa”, conta Natália, já um pouco nostálgica, pois acaba de comprar um aparelho de tela fina. “Comprei pela internet e a data de entrega é até dia 30.”

Deixe um comentário