Deputado Bolsonaro é flagrado com arma em protesto contra Dilma em SP - BR Acontece

Deputado Bolsonaro é flagrado com arma em protesto contra Dilma em SP

BR Acontece
Criador do site BR Acontece, amante da internet, tv, plataformas blogger e WordPress. Vivo conectado em um mundo chamado notícias online, sempre atualizando o site BR.

eduardo-bolsonaro-624x346Foto: Caio Castor

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSC) foi flagrado portando uma arma na cintura enquanto discursava em ato que pedia o impeachment da presidente reeleita Dilma Rousseff (PT), realizado na tarde desse sábado (01), em São Paulo. Eduardo é filho do também deputado Jair Bolsonaro (PP), conhecido pelas declarações polêmicas dirigidas à comunidade LGBT.

“Quero agradecer também à Polícia Militar (PM). Como vocês puderam ver, quem não faz besteira, a PM não bate. Agora, não teve educação em casa, taca pedra no policial e quer o quê? Que responda com flores? tem de usar a energia mesmo”, dizia o deputado no exato momento que a arma ficou à mostra em sua cintura, recebendo intensos aplausos das pessoas que o acompanhavam.

Assista ao vídeo com imagens do ato na Avenida Paulista:

De acordo com números atualizados, cerca de 3 mil pessoas participaram da manifestação que, além do impeachment da presidente recém reeleita, pedia uma nova intervenção militar no país, aos moldes da que aconteceu em 1964, para tirar o PT do poder. “Viva a PM! viva Cuba! Fora PT! Fora a Venezuela”, bradava o deputado, que acusa o PT de tentar instaurar uma ditadura comunista no Brasil.

 

Em declarações feitas a jornais paulistanos nessa segunda-feira (03), líderes do PSDB, partido do candidato derrotado Aécio Neves, afirmaram que as manifestações pedindo o impeachment de Dilma são legítimas, haja vista as inúmeras denúncias de fraude durante as eleições. No entanto, negaram que o PSDB tenha envolvimento com o pedido de intervenção militar no país. O senador Álvaro Dias (PSDB) chegou a alegar que as pessoas que faziam tal pedido foram “infiltradas” pelo PT para deslegitimar o movimento contra Dilma.

Em postagem publicada em sua página oficial mantida no Facebook, o deputado defendeu e explicou que, como é também policial, tem o direito de andar armado: “Policial Federal armado legalmente é colocado como marginal e marginais são colocados como santos”, afirmava o deputado, acusando os movimentos de esquerda de “assassinar reputações”.

Fonte: Ne10

Deixe um comentário