Denúncias sobre os 10 mais procurados de SP saiba quem são. - BR Acontece

Denúncias sobre os 10 mais procurados de SP saiba quem são.

BR ACONTECE
Amante da internet, tv, plataformas blogger e WordPress. Vivo conectado em um mundo chamado notícias online, sempre atualizando o site BR. Email:

Denúncias sobre os 10 mais procurados de SP serão recompensadas

A Secretaria da Segurança Pública (SSP) e o Instituto São Paulo Contra Violência (ISPCV) lançaram o hot site com os dez suspeitos mais procurados do Estado e as recompensas para denúncias que levem à prisão deles.
A lista pode ser acessada pelo site do WebDenúncia. Informações sobre o paradeiro dos indiciados devem ser encaminhadas diretamente pelo site. O sigilo é absoluto.
Foram publicados no Diário Oficial do Estado de ontem (1º) os dez casos. Informações que levem ao paradeiro do médico Roger Abdelmassih, condenado a 278 anos de prisão por 52 estupros e atentados ao pudor contra pacientes, serão recompensadas com R$ 10 mil.
As denúncias que colaborem na localização de Marcio Geraldo Alves Ferreira (Buda) valem R$ 5 mil. Ele é suspeito de ter colaborado no planejamento e na preparação de uma tentativa de fuga de Marco Willians Herbas Camacho (Marcola), Cláudio Barbará da Silva (Barbará), Célio Marcelo da Silva (Bin Laden) e Luiz Eduardo Marcondes Machado de Barros (Du Bela Vista), da penitenciária P2 de Presidente Venceslau.
Presa no final dos anos 1990 com 340 kg de cocaína em Campinas, Sonia Aparecida Rossi, conhecida por Maria do Pó, está foragida desde 2006. Para ela, também foi fixada a recompensa de R$ 5 mil.
Outro procurado por estupro é Manoel Lopes de Araújo Filho, foragido da penitenciária de Tremembé. Ele é acusado de abusar de uma jovem de 8 anos, a qual manteve presa em um guarda-roupa durante 14 dias. A recompensa para este caso está fixada em R$ 5 mil.
Walber da Silva de Farias, procurado pela morte do professor Gomides Vaz de Lima Neto, na Vila Mariana em abril, também está na lista de procurados. Informações que levem à prisão de Walber podem chegar a R$ 5 mil. Um dos acusados do mesmo crime, Wallace Novak Rodrigues, já foi preso pelo Deic (Departamento Estadual de Investigações Criminais) em maio deste ano.
Os demais são Marcelo Luciano Coelho, conhecido como Marcelo Boy ou apenas Boy, procurado por dano, lesão corporal, incêndio, explosão e tráfico de drogas (R$ 5 mil); Caio Rodrigues, procurado pela morte de Diego Cassas no estacionamento de uma lanchonete (R$ 2,5 mil); João Aparecido Ferraz Neto, conhecido como João Cabeludo, procurado por tráfico, lavagem de dinheiro e roubo a caixas eletrônicos (R$ 5 mil); Ronaldo Calado de Mendonça, conhecido por Ronaldinho, acusado de tráfico de drogas e incêndio à ônibus em Bauru (R$ 5 mil); e Aurelito Borges Santiago, condenado pela morte de Rodrigo Cintra e foragido do Fórum de Ribeirão Preto (R$ 2,5 mil).
Programa Estadual de Recompensas foi lançado pelo governador Geraldo Alckmin em maio deste ano. Além do caso do homicídio do professor Gomides Vaz de Lima Neto, a iniciativa já previa também o pagamento de R$ 5 mil por denúncias que ajudem a solucionar o latrocínio (roubo seguido de morte) de Benedito Virgulino no dia 4 de abril de 2014.
Recompensa
O modelo do programa é inédito no país, pois mantém em sigilo a identidade do denunciante durante todo o processo, inclusive no pagamento da recompensa.
As denúncias para o Programa Estadual de Recompensa são feitas no WebDenúncia. O interessado em denunciar precisa apenas fazer o procedimento normal no serviço online e tem assegurado o seu anonimato. Ao final do processo, o denunciante recebe um número de protocolo e uma senha para que ele possa acompanhar anonimamente o uso da sua informação, assim como é feito em todos os casos da ferramenta online.
Nesta seção de acompanhamento, o denunciante será informado se a sua informação foi recompensada e receberá um número de cartão bancário virtual, que permitirá saques da recompensa em qualquer caixa eletrônico do Banco do Brasil, sem a necessidade de que ele se identifique. A quantia poderá ser retirada de uma vez ou aos poucos, assim como é feito com um cartão bancário comum.
A senha é gerada por meio do protocolo, que apenas o denunciante terá acesso, não exigindo um cadastro. O WebDenúncia conta com dupla criptografia de dados, o que impede qualquer pessoa de invadir o sistema. Os recursos para o programa partirão do Fundo de Incentivo à Segurança Pública (Fisp), que é administrado pela Secretaria da Segurança. A verba será liberada ao Fundo quando for necessário efetuar um pagamento.
Como vai funcionar a recompensa
Pode receber a recompensa o denunciante que encaminhar informações que contribuam de maneira relevante para a polícia esclarecer um crime, ou seja, aqueles que informarem dados que resultem na identificação do autor ou na localização e prisão de um procurado pela Justiça.
As informações dadas pelo denunciante são repassadas aos policiais civis e militares que atuam no WebDenúncia – serviço fruto de parceria entre a Secretaria da Segurança Pública (SSP) e o Instituto São Paulo Contra a Violência (ISPCV) -, que encaminham as informações às equipes responsáveis pelas investigações.
A importância de informações para o Programa Estadual de Recompensa é analisada de acordo com cada caso denunciado. A decisão final sobre o pagamento da recompensa fica a cargo do secretário da Segurança Pública.
Assessoria de Imprensa e Comunicação da Secretaria da Segurança Pública
Fonte do Texto SSP

Deixe um comentário