Carro pega fogo com R$ 100 mil escondidos de pastor - BR Acontece

Carro pega fogo com R$ 100 mil escondidos de pastor

BR Acontece
Criador do site BR Acontece, amante da internet, tv, plataformas blogger e WordPress. Vivo conectado em um mundo chamado notícias online, sempre atualizando o site BR.

Carro encontrado pegando fogo com R$ 100 mil escondidos no capô era de pastor da Igreja Universal

Na última semana um carro importado foi encontrado em chamas pela Polícia Rodoviária Federal do Rio de Janeiro próximo a Barra Mansa (RJ). O veículo, um Mitsubishi Airtrek, foi abandonado com cerca de R$100 mil, quando pegou fogo, no km 276 da Rodovia Presidente Dutra, que liga Rio a São Paulo. Nessa semana, a polícia identificou um pastor evangélico como proprietário do carro.CARRO

De acordo com a polícia, cerca de R$ 100 mil foram encontrados escondidos no compartimento do motor do veículo, dentro de um saco de ração animal. Inicialmente a polícia acreditou se tratar de dinheiro oriundo do tráfico de drogas, por terem sido encontradas cédulas de R$ 2, R$ 5, e R$ 50. Porém, agora, a polícia identificou José Rodrigo da Costa, pastor da Igreja Universal do Reino de Deus, como proprietário do veículo.

O carro havia sido comprado no dia anterior, em dinheiro, em uma revendedora de veículos localizada no bairro da Freguesia do Ó, na capital paulista. O pastor foi identificado como o comprador pelo comerciante Emerson Pereira, de 32 anos, dono da revendedora. Como a compra era recente, a transferência de propriedade ainda não tinha sido providenciada.

Pereira disse ao radialista Tico Balanço, da Rádio Sul Fluminense que havia vendido o carro ao pastor no dia 30, e que ele havia afirmado que viajaria no outro dia para o Rio, onde, com dinheiro do dízimo dos fiéis, ia montar uma igreja.

Testemunhas afirmam ter visto quando um casal tentou conter o fogo e fugiu diante da aproximação dos bombeiros. Eles teriam entrado em um carro que estava parado na outra pista da rodovia, sentido Rio. O veículo foi levado para o pátio da delegacia de Barra Mansa, onde foi periciado junto com as cédulas. A polícia também aguarda o resultado do laudo do Instituto de Criminalística Carlos Éboli (ICCE).

Deixe um comentário