Assaltante da UFRGS recebe Bolsa Família e já foi preso furtando chocolate - BR Acontece

Assaltante da UFRGS recebe Bolsa Família e já foi preso furtando chocolate

BR Acontece
Criador do site BR Acontece, amante da internet, tv, plataformas blogger e WordPress. Vivo conectado em um mundo chamado notícias online, sempre atualizando o site BR.
19490880 BRACONTECERapaz é apontado como um dos suspeitos de aterrorizar o entorno do campus central da Ufrgs, na CapitalFoto: Divulgação / BM

Apontado como um dos suspeitos de aterrorizar o entorno do campus central da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), em Porto Alegre, Daniel Ricardo Linck, 26 anos, não estuda nem trabalha, vive de pequenos crimes e complementa “sua renda” com mesada de R$ 77 do Bolsa Família.

O nome e o rosto de Linck se tornaram conhecidos no começo do mês, quando foi flagrado em imagens do SBT apontando uma faca para o pescoço de um jovem nos arredores da reitoria da UFRGS. Há anos o lugar tem sido alvo de roubos e furtos contra estudantes e motivou instalações de “assaltômetros” — placas que contam dias sem crimes na região.

19490881 braconteceNa última segunda-feira, rapaz foi preso com drogas. Em rede social, mantém pelo menos dois perfisFoto: Reprodução / Facebook

Envolvido em delitos desde 2009, a maioria por furtos, praticados em Caxias do Sul e em Porto Alegre, Linck foi cadastrado no Bolsa Família em outubro de 2014 como morador de rua no município da Serra. Desde então, conforme dados do Ministério de Desenvolvimento Social (MDS), já recebeu R$ 1.463 até abril deste ano.

Após ser detido por PMs em duas oportunidades em menos de 24 horas, chegou a ser divulgado que Linck já tinha sido preso 40 vezes. Na realidade, foi apresentado preso 16 vezes em delegacias — oito casos por ter sido pego com barras de chocolates surrupiadas em supermercados de Caxias do Sul, que não geraram acusações contra ele.

Das 16 prisões de Linck, cinco foram em flagrante, com recolhimento em presídios e abertura de cinco processos criminais (leia abaixo). Como até agora dois dos casos mais antigos resultaram em condenações convertidas em prestação de serviços à comunidade, Linck segue livre. Ele usa dois perfis no Facebook no qual posta vídeos, imagens e aparece em fotos sem qualquer constrangimento.

Atualmente, responde a dois processos em liberdade: um por receptação de um carro furtado, cometido em dezembro de 2014, em Caxias, e o segundo por tráfico de drogas, por ter sido preso com porções de maconha em 13 de junho, no centro da Capital. A denúncia foi encaminhada na quinta-feira à 9ª Vara Criminal do Fórum Central da Capital.

— Ele aparenta ser um criminoso contumaz e, por isso, entendo que não deveria receber o dinheiro (Bolsa Família) — afirma o delegado Mário Souza, diretor de investigações do Departamento Estadual de Investigações do Narcotráfico.

Embora possa gerar questionamentos, a regra do Bolsa Família não estabelece impedimento para uma pessoa envolvida em crimes receber o benefício, segundo o Ministério do Desenvolvimento Social (MDS).

A concessão do auxílio parte da premissa de que o candidato necessita do recurso. Para se cadastrar, é preciso comparecer em uma prefeitura com documentos — CPF ou título de eleitor —, submeter-se a uma entrevista e declarar renda mensal por pessoa não superior a R$ 154 em caso de famílias com crianças e adolescentes. A legislação prevê anualmente revisão do cadastro para checar a veracidade das informações, e, a cada dois anos, o beneficiário tem de se apresentar para atualizar dados.

As 16 detenções

Fevereiro de 2009 – Preso por furto de uma moto em Caxias do Sul. Ficou quatro dias na cadeia e foi condenado a um ano de prestação de serviços comunitários.

Março de 2009 – Preso em flagrante por furto de outra moto, em Caxias. Ficou na cadeia até o final de abril daquele ano. Foi absolvido dois meses depois.

Março de 2010 – Preso por suspeita de furtar barras de chocolate em supermercado, em Caxias do Sul. Não foi indiciado pela polícia.

Abril de 2010 – Preso em flagrante por furtar a bolsa de uma idosa de 63 anos, em Caxias do Sul. Depois de dois meses na cadeia, foi solto. Em outubro daquele ano, foi condenado a 10 meses de reclusão, convertidos em prestação de serviços comunitários.

Junho de 2011 – Preso suspeito de furtas barras de chocolate e bolachas em supermercado, em Caxias do Sul. Indiciado por furto.

Julho de 2011 – Preso suspeito de furtar barras de chocolate em supermercado, em Caxias do Sul. Indiciado por furto.

Julho de 2011 – Uma semana depois, é preso novamente sob suspeita de furtar barras de chocolate em supermercado, em Caxias do Sul. Indiciado por furto.

Fevereiro de 2012 – Preso sob suspeita de furtar barras de chocolate de um sacolão, em Caxias do Sul. Não foi indiciado.

Julho de 2012 – Preso sob suspeita de furtar barras de chocolate em supermercado, em Caxias do Sul. Indiciado por furto.

Dezembro de 2014 – Preso em flagrante com um Gol furtado, em Caxias do Sul. Ganhou liberdade provisória em fevereiro de 2015. Indiciado por receptação e responde ao processo

Abril de 2015 – Preso suspeito de furtar barras de chocolate em supermercado, em Caxias do Sul. Indiciado por furto.

Abril de 2015 – Dez dias depois, preso sob suspeita de furtar barras de chocolate, em Caxias do Sul. Não foi indiciado.

Maio de 2016 – Preso por posse de maconha na Praça da Alfândega, em Porto Alegre. Instaurado termo circunstanciado.

3 de junho de 2016 – Preso pela tentativa de assalto no dia anterior exibida por reportagem do SBT.

4 de junho de 2016 – Preso com uma porção de maconha e duas carteiras de identidade em nome dele, emitida por diferentes Estados. Instaurado termo circunstanciado.

13 de junho de 2016 – Preso em flagrante no centro de Porto Alegre com oito tabletes de maconha e R$ 56. Estaria vendendo a droga na Praça da Alfândega. Levado para o Presídio Central, foi solto no dia seguinte. Foi denunciado pelo MP na quinta-feira.

Fonte: ZH

Deixe um comentário